sexta-feira, agosto 29

LETRA


De um jornal qualquer....
Desculpe-me o autor...
achei recortado assim...
sem referência...
mas com toda essência!!

.

.

.
LETRA
** eu sou o rei da cultura
AM
eu ouço o galo cantar
PM
eu coalho o leite do creme
de la creme
eu bebo a agua do mar
que metaforazinha!
eu boto o bloco na rua
da amargura
eu vejo o mato crescer
pra burro
eu me transformo na sua
cara!
o que é que eu posso fazer?
quase nada, quase nada!
eu sou o mestre do óbvio
ululante
pego o difícil no ar
até parece!
viro de ponta-cabeca
sem essa!
o quadro negro do azar
é ruim hein!
eu sou aquele que o tempo
por acaso
se recusou a mudar
de teimosia
eu tenho um pé no futuro
que pretensão!
e esta mão pra acenar
e outra pra comer
é eu sou assim
só assim
é eu sou o fim
do que pintar



Nenhum comentário: