segunda-feira, março 30

Por do Sol de Castro Caracas.

Viva la Estatua, Estatua Viva - Caracas.
.
Parabéns ao meu amigo revolucionário!!
Fotos e legendas MARCIO BERTONI.
Uma nuvem passageira...
Obs.: Os animais foram imperfeitos, compridos de rabo, tristes de cabeça. Pouco a pouco se foram compondo, fazendo-se paisagem, adquirindo pintas, graça, vôo. O gato, só o gato apareceu completo e orgulhoso: nasceu completamente terminado, anda sozinho e sabe o que quer. (...) (Neruda)
.
Saudades....
.
Arte, nao importa quem nem onde (muito menos como)...
.
É nóis...
.
.
...

Sou feliz... Agora...
.
Igual ao Brasil (mas nem tanto)...
.
Vai vendo...
.
Nao fui eu!
.
O muro que pintaram no dia da toma cultural... bem legal!
.

hehe... Entao, agora me pagam pra fazer isso...
.

Um dia eu faço sucesso!
.
Meios livres, comunitarios e alternativos exigindo 33% do espectro radiodifusor. que tal?!
.

Remando numa lagoa dentro de um vulcao inativo a 3854 metros de altitude, no Ecuador, é claro.
.
En una isla del Caribe...
.

Calle Carabobo, Maracaibo - Venezuela
.
Plaza Bolívar, Bogotá.
.
Parque Nacional El Tayrona, Mar Caribe, Colombia
.

#sem legenda#
.

Hum... Pensativo o garoto...
.

Saudades
.

Voando por ai...
.


Sempre bom ver amigos evoluindo e realizando sonhos!!!
Valeu irmão...
com certeza a gente ainda se vê pela vida....

ADORO

ConciergeParaty.com

O desafio do presente
O isolamento ao longo dos anos de decadência econômica contribuiu para a conservação das casas, que embora tenham sofrido alterações em seus interiores, preservam ainda os detalhes de arquitetura daquela período, dando-nos a sensação de voltar no tempo, como que passeando por uma das aquarelas do pintor francês, cujo principal feito foi retratar o Brasil-Colônia fora dos domínios da corte, em exposição fiel de uma sociedade em formação.
O crescimento populacional, inevitável em cidades situadas no eixo Rio-São Paulo, é fator de grande preocupação para
conservacionistas e ecologistas e constitui equações de difícil solução:
Como preservar os tesouros do passado sob o inexorável ritmo da evolução imposta pelos interesses dos dias atuais?
Como prosperar sem ceder à especulação imobiliária que assola morros e cachoeiras, áreas valorizadas pela alta e crescente procura por parte de investidores ávidos por lucro fácil, ainda que a custos impagáveis ao meio-ambiente?
Como permitir a evolução do turismo sem a perda da identidade cultural de um povo cujas raízes remontam aos tempos em que Debret caminhava pelas ruas de Paraty?
Como, enfim, criar o futuro, sem destruir o passado, material e imaterial, de uma região que, por estar ao nível do mar, enfrenta dificuldades maiores ainda que outras semelhantes, principalmente no que tange ao saneamento básico e de conservação de áreas de mananciais e estuários?
Todas estas questões apontam numa direção: A organização da sociedade civil em células que façam valer os seus direitos, bem como o das gerações futuras, responsáveis pelo patrimônio e detentores naturais dos direitos sobre a exploração turística e natural.
Paraty é uma das cidades beneficiadas pelos royalties advindos da exploração do maior campo petrolífero brasileiro , o Campo de Tupi, que se estende da Bacia de Santos/SP, até o Estado do Espírito Santo.
Além do petróleo, a cidade está localizada na Baía da Ilha Grande, na qual se localizam as Usinas Nucleares Angra I e II, que já pagam royalties à cidade, e já se benificia da construção de Angra III, ou seja, recursos não faltam para que haja serviços de qualidade à população e aos turistas de todo o mundo que incluem Paraty em seus roteiros de viagem.
É fundamental, portanto, que tomemos pulso do processo e façamos nossa parte, para que não percamos por omissão, algo que nem em séculos poderíamos repor:
O delicado equilibrio da natureza e um patrimônio de valor histórico incomparável.
Foto e texto José Antonio Lima


Arlequim

Pra quem segue ali...
caminhando pelas ruas do Centro:
Uma surpresa colorida, um Arlequim!

PerfeiçãO - Paraty - BrasiL

Fotos José Antonio Lima
Vamos celebrar
A estupidez humana
A estupidez de todas as nações
O meu país e sua corja
De assassinos
Covardes, estupradores
E ladrões...
.
Vamos celebrar
A estupidez do povo
Nossa polícia e televisão
Vamos celebrar nosso governo
E nosso estado que não é nação...
.
Celebrar a juventude sem escolas
As crianças mortas
Celebrar nossa desunião...
.
Vamos celebrar Eros e Tanatos
Persephone e Hades
Vamos celebrar nossa tristeza
Vamos celebrar nossa vaidade...
.
Vamos comemorar como idiotas
A cada fevereiro e feriado
Todos os mortos nas estradas
Os mortos por falta
De hospitais...
.
Vamos celebrar nossa justiça
A ganância e a difamação
Vamos celebrar os preconceitos
O voto dos analfabetos
Comemorar a água podre
E todos os impostos
Queimadas, mentiras
E seqüestros...
.
Nosso castelo
De cartas marcadas
O trabalho escravo
Nosso pequeno universo
Toda a hipocrisia
E toda a afetação
Todo roubo e toda indiferença
Vamos celebrar epidemias
É a festa da torcida campeã...
.
Vamos celebrar a fome
Não ter a quem ouvir
Não se ter a quem amar
Vamos alimentar o que é maldade
Vamos machucar o coração...
.
Vamos celebrar nossa bandeira
Nosso passado
De absurdos gloriosos
Tudo que é gratuito e feio
Tudo o que é normal
Vamos cantar juntos
O hino nacional
A lágrima é verdadeira
Vamos celebrar nossa saudade
Comemorar a nossa solidão...
.
Vamos festejar a inveja
A intolerância
A incompreensão
Vamos festejar a violência
E esquecer a nossa gente
Que trabalhou honestamente
A vida inteira
E agora não tem mais
Direito a nada...
.
Vamos celebrar a aberração
De toda a nossa falta
De bom senso
Nosso descaso por educação
Vamos celebrar o horror
De tudo isto
Com festa, velório e caixão
Tá tudo morto e enterrado agora
Já que também podemos celebrar
A estupidez de quem cantou
Essa canção...
.
Venha!
Meu coração está com pressa
Quando a esperança está dispersa
Só a verdade me liberta
Chega de maldade e ilusão
Venha!
O amor tem sempre a porta aberta
E vem chegando a primavera
Nosso futuro recomeça
Venha!
Que o que vem é Perfeição!...
.
RenatoRusso

sábado, março 28

AQUÁRIO

Saí que eu sou de Aquário!
Pode esperar que ela sempre tenha uma opinião franca,
mas não tente ensiná-la a viver.

Jabaquara

Teu visual mais que me consolou por diversas vezes...
Belo sob sol ou chuva tinha a magia de me confortar!
Teus ares a embalar minha rede...
Tua maresia a minh'alma acalentar...

lá lá lá... Tive razãO


ô ô ô ô ô ô, lá lá lá... a a a

.

Tive razão

Posso falar

Não foi legal, não pegou bem

Que vontade de chorar, dói

Em pensar que ela não vem, só dói

Mas pra mim tá tranquilo, eu vou zoar

O clima é de partida,

Vou dar sequência na minha vida

E de bobeira é que eu não estou,

E você sabe como é que é, eu vou

Mas poderei voltar quando você quiser!

.

ô ô ô ô ô ô, lá lá lá... a a a

.

Demorô vai ser melhor...
.
Tive razão - Seu Jorge

NUANCES DE CINZA

Entre fumaças de cigarros aos maços...
ainda me pego na falta de teus abraços...
.
.
Tranquei a sete chaves toda lembrança...
mas nostalgia tem suas faces de esperança...

eh... tem dias que tá tudo em nuances de cinza...

quinta-feira, março 26

BRANCA BORBA

"Memórias de Um Tigre de Circo"
.
.
Fotos em 25/04 e 27/06/2008 Paraty
Luciana Serra
.







































Parabéns!!!
Branca, minha comadre querida!!!
Muito orgulho e satisfação em vê-la realizando sonhos!!!
Sucesso!!
o♥cirandaeamor..