domingo, março 1

ॐ ॐ ॐ

Sou uma pessoa simples
vivendo simplesmente
por acreditar que na simplicidade
o amor transborda, preenchee faz sentido.
ॐ ॐ ॐ
Não me defina pelo que escrevo.
Não me defina pelo que penso.
Não me defina pelo que você pensa,
ou pelo que pensa do que escrevo.
Definir-se é limitar-se,
é diminuir a potencialidade que há em ser.
Deixe-me ser, seja e veja simplesmente;
não entenda, não me entenda, não quero ser entendido.
Não quero parecer ter respostas,
mas propor perguntas:
só a falta de conclusões traz novos pensamentos.
Cansei de horizontes contornados,
de retas encontrando-se no infinito:
quero o infinito infinito,
o horizonte sem forma, cor, e inalcançável.
Quero todo sentimento novo de novo,
toda dor que vier e todo riso:
o ar que toca os dentes já não é mais o mesmo.
Nenhum dia o é,
e a inevitabilidade do nascer do sol é a única rotina sadia.
Venham sóis, venham chuvas!
Há os dias em que não quero ser.
Nesses dias,
não pense em mim,
não fale sobre mim,
não me obrigue a existir.
Falo daqui, para a quarta parede,
e respiro fundo para seguir adiante:
caminho aberto.
Não baixe as cancelas.
Renato Alt


Nenhum comentário: