sábado, abril 17

Guia-me sempre!


Quando bate essa saudade assim forte, me sinto como que presa no tempo. E na verdade o tempo que deve estar preso em mim... presente, passado e futuro dentro do que sou transparecendo dimensões e aliviando a dor da distância e da incompreensão dos sentidos. Preciso ir além dessa dor do tempo. Preciso de forças para cumprir minhas missões.
Mas hoje o tédio tomou conta de mim...
Na luta fui dar uma geral daquelas de jogar um monte de coisas fora... tirar a poeria dos detalhes e o que está entulhando o caminho... papéis apagados pelo tempo e fotos amassadas...

Nenhum comentário: